Skip to main content
MarketingPerformanceTecnologia

Como explorar o Google Analytics e vender mais

By 06/06/2022No Comments

Entre as inúmeras vantagens das plataformas digitais, certamente se destaca a possibilidade de entender, praticamente em tempo real, o comportamento dos clientes.

E uma das principais ferramentas para a execução dessa tarefa é justamente o Google Analytics. Os relatórios gerados permitem que a empresa tenha acesso às informações sobre o perfil de seus visitantes e a respeito do tráfego.

Comparando com outros programas disponíveis no mercado, a plataforma do Google apresenta vantagens importantes. Além de ser gratuita, tem um sistema intuitivo (fácil de usar) e atua de forma integrada ao Google Ads, o que facilita o gerenciamento das campanhas.

Para o e-commerce, o sistema dispõe ainda de relatórios específicos, importantes para avaliar também a performance da loja.

No artigo de hoje vamos tratar do emprego do GA, mostrando como ele pode ser importante para aprimorar as estratégias adotadas no dia a dia de uma operação de e-commerce.

Como funciona o Google Analytics

De forma simplificada, podemos definir o Google Analytics como uma plataforma que coleta e faz a compilação dos dados referentes aos sites.

Para acessar os relatórios, basta fazer a configuração, por meio do registro de uma conta do Google, e indicar suas preferências.

A partir daí, o gestor tem à disposição diversos tipos de relatórios relacionados ao tráfego do site, entendendo melhor o perfil do visitante e o seu comportamento antes, durante e após a visita.

É óbvio que ter acesso aos dados é importante, contudo, isso fará pouca diferença na sua operação se a empresa não definir os KPIs do seu negócio. Ou seja, os números devem ser analisados a partir dos objetivos determinados para a operação.

Vamos entender melhor isso nos próximos tópicos, ao detalharmos os tipos de relatórios do Google Analytics.

Quais dados acessar via Google Analytics

Como você deve ter deduzido até aqui, os relatórios do GA são fundamentais para que seja possível fazer o monitoramento do desempenho do e-commerce, compreender como os visitantes (e clientes) navegam pela loja.

Para que a análise seja mais produtiva, gerando os insights necessários para o negócio, é essencial, contudo, entender a natureza dos dados apresentados em cada relatório e as métricas que podem ser acompanhadas. 

Principais informações

Os dados mais “básicos” são os relacionados à navegação do usuário. Neste tipo de relatório, então, é possível entender o número de usuários (visitantes únicos) e as sessões que foram iniciadas.

Esse tipo de dado ajuda a identificar o comportamento do cliente durante a visita. É uma métrica importante para se mensurar, por exemplo, a efetividade de suas estratégias de venda e de marketing.

Assim, se houve um aumento no número de sessões em determinado período, é importante entender o que motivou esse crescimento. A loja fez uma promoção? Está com alguma oferta especial? Enfim, é essencial que os dados quantitativos possam ser cruzados com informações de caráter mais qualitativo.

Ainda seguindo essa mesma linha de raciocínio, outra métrica importante a ser acompanhada é a taxa de rejeição.

Ela é representada por uma porcentagem e mostra o volume de sessões que foram finalizadas, sem que o usuário realizasse uma ação no site.

Essa taxa deve ser monitorada com cuidado. Se está muito alta, é importante avaliar o que tem gerado esse resultado.

Uma análise mais atenta das páginas mais visitadas, por exemplo, podem ajudar a entender o que está acontecendo.

 

Engajamento e performance

Considerando as necessidades específicas de um e-commerce, certamente têm grande relevância os relatórios relacionados à navegação do usuário. 

Assim, além dos dados mais básicos, é importante extrair do sistema informações que ajudem a entender o engajamento.

Além das páginas mais acessadas do site, pode ser útil avaliar relatórios específicos sobre:

– Engajamento por campanha/produto;

– Exibições de tela por usuário;

– Número de pessoas engajadas que geram conversão em vendas;

– Produtos vistos com maior frequência e por mais tempo.

– Tempo de permanência nas sessões do site;

– Origem dos canais de mídia/a campanha;

– Horários de maior acesso, entre outras informações.

Um aspecto a ser observado, neste tipo de análise, é a necessidade de cruzamento dos dados. Por exemplo, entendendo melhor o acesso via diferentes aplicativos.

Fique atento: ao compreender as interações de dispositivos como parte de uma experiência mais ampla do cliente, é possível tomar decisões mais consistentes sobre os produtos e a própria estratégia de marketing.

Desempenho das vendas

O GA permite também a criação de relatórios customizados para saber mais sobre as transações realizadas em determinado período, quais os itens mais comprados, qual a perspectiva de receita etc.

Até para compreender melhor o comportamento omnichannel do público, é importante avaliar o que acontece nas versões desktop e no mobile. Outra informação importante: o tempo que cada pessoa levou desde a visualização dos anúncios até a finalização do checkout.

Nesses relatórios dedicados à transação, é essencial que se considere as previsões feitas pelo e-commerce. Assim, o gestor tem como analisar se o número de produtos por transação está dentro do programado e, a partir daí, elaborar estratégias específicas.

 A avaliação do ciclo de vendas é importante, por exemplo, para que se tenha previsões mais confiáveis.

Publicidade

Os diversos relatórios do Google Analytics também permitem entender e melhorar as iniciativas de publicidade on-line.

É possível, por exemplo, conferir as métricas de desempenho após o clique de usuários nas campanhas do Google Ads.

Com o custo de aquisição de clientes cada vez mais alto, é importante ter como avaliar de forma mais detalhada as ações de maior retorno para o negócio. 

GA: novidades em julho de 2023

De olho nas mudanças que têm ocorrido nas relações de consumo, o Google continua investindo para aprimorar a performance de seus produtos.

E a nova versão do GA já está preparada e passará a valer a partir de 1º. julho de 2023, de acordo com as informações divulgadas pela empresa.

O Google Analytics 4 promete oferecer várias vantagens em relação ao Analytics:

– Foca a privacidade e foi pensado para o futuro;

– É inteligente e usa aprendizado de máquina para descobrir insights sobre a jornada do cliente em várias plataformas e dispositivos;

– Permite integrações avançadas com as plataformas de publicidade do Google para otimizar a performance da campanha e melhorar o ROI de marketing.

Como vimos neste artigo, tão importante quanto o desenvolvimento das estratégias é contar com os recursos necessários para fazer o acompanhamento dos resultados.

É justamente neste ponto que o Google Analytics se destaca, uma vez que facilita o acesso às informações que podem ser transformadas em insights para o negócio.

Compartilhe