Skip to main content
Vendas

JET aumenta em 90% o portfólio de clientes de moda

By 28/10/2011abril 8th, 2022No Comments

Os últimos meses têm sido extremamente positivos para o mercado de moda no comércio eletrônico. O impulso veio principalmente da atuação de clubes de compras, que a partir de ofertas de produtos variados do segmento abriram as portas para o crescimento do setor. Agora, é nítido o interesse de empresários em ampliar a atuação para a modalidade de vendas à distância. Em apenas seis meses, na comparação com o mesmo período de 2010, que vai de março a setembro, a JET Tecnologia ampliou o portfólio de clientes de moda em quase 90%.

A procura deve continuar em alta demanda nos próximos anos. De acordo com o diretor geral da empresa especializada em plataformas para e-commerce há mais de 11 anos, Luiz Mario Lunardi, o setor entrou em propulsão e continuará seguindo na rota do crescimento, por conta das novas ferramentas que facilitam a aquisição de produtos de moda pela internet.

Números do setor

Dados do setor, levantados pela empresa de inteligência de mercado do comércio eletrônico, a e-bit, apontou para um aumento vertiginoso das vendas de roupas e acessórios. Tanto que pela primeira vez em todos os anos, desde que a empresa começou a mensurar o desempenho do e-commerce brasileiro, artigos de moda ficaram entre os cinco mais vendidos no Dia dos Namorados.

É o setor também que desponta como uma das principais promessas do semestre corrente. O relatório Webshoppers, divulgado em agosto pela e-bit, em parceria com a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) e a E-commerce School, prevê que junto aos eletrodomésticos, eletroeletrônicos e artigos de informática, a categoria deve dominar a preferência dos e-consumidores.

Além de clientes como a e-closet, que já foi destaque na revista Veja por sua atuação exclusivamente eletrônica, a JET Tecnologia mantém entre os novos clientes as lojas de moda infantil Nosh e Be Little e adulta Fility, Any Any, Érika Lermithe, Diva Couture, Silvia Furmanovich, Eme Per Me, entre outras.

Cristina Aquinan, da Eme Per Me, afirma que entrar para o e-commerce será um salto, na busca pela consolidação da marca. Para isso, está, “em parceria com a JET, desenvolvendo, todo o trabalho de planejamento.” Fazer parte do comércio eletrônico é uma estratégia, diz ela, maior do que a busca pelo espaço comercial.

Por tudo isso, melhorias para atender esse setor são constantemente projetadas pela JET, ciente de que esse mercado estará, com a ajuda da internet, em constante evolução.

Compartilhe