Skip to main content
Vendas

m-commerce terá mais de 40% do mercado nos EUA em 2020

By 12/11/2015abril 5th, 2022No Comments
m-commerce


smartphone

Estudo da Forrester Research mostra que as vendas através do m-commerce chegarão a US$ 142 bilhões nos EUA em 2016. O relatório “Previsões para o comércio mobile, 2015-2020”, da Forrester aponta o desafio de conquistar conversões nas plataformas mobile, já que um terço do tráfego vem destes dispositivos, mas apenas 11% das vendas são fechadas através deles. [O cenário no Brasil é muito parecido, como reportamos aqui no blog.]

Entretanto por lá, mais de um terço destas conversões pertencem a dois gigantes: Amazon e eBay. A projeção é que os smartphones gerarão 15% das vendas em 2020 e os tablets serão responsáveis por 33%, disse Sucharita Mulpuru, VP da Forrester e autora do estudo. Segundo a executiva, considerando que os dispositivos móveis estão se tornando os principais equipamentos, estes números não são maiores por conta das baixas velocidades de navegação dos equipamentos.

Poucos varejistas conseguiram aumentar as conversões mobile ao longo dos anos. Mais que isso, a maior parte das vendas na plataforma estão em três categorias, o que significa que nas outras categorias há pouca penetração e ainda é preciso trabalhar a experiência de compra.

Atenção às métricas

Forrester_mcommerce mobileandtabletforecast

Enquanto a influência do mobile nas compras, o m-commerce ainda está em crescimento. Um ponto chave do relatório é que os varejistas precisam ir além das vendas e pesar a importância de atrair tráfego para seus sites e também as vendas feitas em suas páginas através do Google e do Pinterest, por exemplo, quando se mede o sucesso das estratégias do m-commerce.

Apesar dos muitos desafios, como as taxas de conversão fracas e dificuldades de carregamento, a taxa de crescimento das vendas no m-commerce está aumentando rapidamente e a Forrester projeta uma taxa anual de 17% entre smartphones e tablets nos próximos cinco anos.

Por lá, o mobile responde por 35% do e-commerce e a previsão é que responda por 49% do mercado em 2020, cerca de 252 bilhões de dólares.

Investindo em mobile

O crescimento do m-commerce vai além das taxas de adoção dos equipamentos. Os varejistas investem cada vez mais em melhorar a experiência de seus clientes, segundo o estudo. Os principais pontos são o checkout facilitado, otimização dos e-mails para smartphones e criar mais avaliações dos produtos. A Forrester estimou que em 2014 foram gastos US$ 1,2 milhões em otimizações para smartphones contra US$ 550 mil em tablets.

Os sites de m-commerce com mais sucesso integram elementos como navegação, facilidade de compra e webdesign em seus projetos. Apesar das dificuldades, os compradores têm maior tolerância com os defeitos no mobile, como era antes com os sites. Uma pesquisa feita com consumidores no segundo trimestre de 2015 descobriu que 60% dos entrevistados compram com seus smartphones, um aumento de 52% sobre 2014, enquanto 71% dos donos de tablets já realizam compras, aumento de 47%.

Comprando em várias telas

Forrester_mcommerce categories

Segundo o estudo da Forrester, grande parte das vendas são nas categorias de eletrônicos, mídia (livros, filmes, aplicativos, jogos) e roupas. As outras categorias ainda precisam melhorar a experiência móvel para ter sucesso.

Diversos varejistas nas outras categorias podem conquistar os usuários sem grandes investimentos. O estudo sugere que facilitar a compra em diversas telas pode ser um bom caminho, já que muitos consumidores fazem as buscas em seus smartphones e as terminam em computadores. Uma forma de fazer isso é permitir que o carrinho do m-commerce possa ser enviado por e-mail para o cliente.

Outra sugestão é usar momentos durante o uso de alguns apps em que se gasta muito tempo, como oferecer refeições enquanto as pessoas estão no Swarm ou no Yelp. Os varejistas também podem explorar soluções oferecidas por empresas como o Facebook para encontrar seus clientes através das plataformas.

Foto: liewcf via Compfight cc

Compartilhe