Skip to main content
Melhores PráticasPerformanceTecnologia

O que é e quais as melhores práticas para o Google Ads?

By 31/05/2022No Comments

Neste período de crescimento acelerado para o e-commerce, é essencial ter boas estratégias de divulgação para o negócio.

Com o aumento da concorrência entre as empresas, diversificar as ações de comunicação é uma das formas de ampliar a presença digital da marca e também de otimizar os recursos.

E, para melhorar os resultados, o Google Ads tem um papel fundamental, assim como os investimentos em busca orgânica.

Para o artigo de hoje reunimos informações importantes para que você consiga entender melhor as técnicas que devem ser usadas no uso da plataforma de publicidade do Google.

Os gestores de e-commerce podem (e devem) contar com empresas especializadas nessa área, mas é importante ter noção sobre essas estratégias, até para orientar o trabalho dos parceiros.

Qual o papel do Google Ads para o e-commerce?

Para começar, vale lembrar que tanto o Google Ads, como as técnicas de SEO, têm um papel bem definido em sua estratégia: geração de tráfego para os seus canais de venda e de comunicação. 

E, se tudo der certo, a proposta é que esses investimentos gerem mais conversões. Lembrando que, no dia a dia, elas podem representar mais vendas ou qualquer outro objetivo que tenha sido definido para a campanha, como tornar o nome da sua loja mais conhecido ou captar informações sobre o público, via um cadastro.

Num cenário ideal, deve haver equilíbrio entre as estratégias de SEO e a compra de anúncios no Google. Não é o caso de fazermos um detalhamento das questões técnicas, mas saiba que estamos falando das duas ferramentas principais do SEM – Search Engine Marketing. 

Na prática, isso significa adotar técnicas que ajudem a sua empresa a construir (e manter) a reputação dela na internet.

A despeito de suas particularidades, as duas opções possuem um ponto em comum: dependem de um bom planejamento de palavras-chave.

No Google Ads, isso será feito na hora de configurar os anúncios e, no SEO, na produção dos conteúdos para site, blog e redes sociais.

O que é Google Ads?

O Google Ads é a plataforma de publicidade do Google e, devido a sua importância no cenário digital, deve estar no radar de qualquer tipo de negócio. 

Afinal, o serviço de busca é a porta de entrada para a internet e os links patrocinados são fundamentais para colocar o nome das empresas nas primeiras páginas do buscador.

Um dos diferenciais, em relação à publicidade tradicional, é que não basta ter dinheiro para fazer a compra de anúncios. 

O sistema do Google é um pouco mais complexo do que isso, porque, além do valor do clique, a definição de quem vai ficar com as primeiras posições também depende de outros critérios, como:

* a relevância daquele termo na busca feita pelo usuário;

* o índice de qualidade do anúncio, que considera: a taxa de cliques da mensagem; a qualidade da página de destino; e a relação da palavra-chave com o produto anunciado.

Como usar o Google Ads no e-commerce?

O primeiro passo, ao iniciar a campanha, é selecionar o tipo de anúncio que será realizado.

Pesquisa

Uma das alternativas é optar pela Rede de Pesquisa. Neste caso, os anúncios vão aparecer para a audiência, de acordo com a pesquisa realizada pelo usuário.

Isso poderá acontecer tanto na página do Google como na sua rede de parceiros.

Como a exibição será determinada pela palavra-chave pesquisada, a vantagem é que os anúncios serão apresentados para quem demonstrou interesse pela marca ou pelo segmento. Ou seja, estamos falando de uma geração de tráfego qualificado para a loja.

Rede Display

A Rede Display tem uma dinâmica diferente, porque a proposta é que os anúncios sejam exibidos em sites, vídeos e apps que compõem a rede Google.

Segundo a própria empresa, hoje são mais de 2 milhões de locais disponíveis para a exposição dos anúncios, alcançando, de acordo com as informações divulgadas pelo Google, cerca de 90% dos usuários de internet em todo o mundo.

É importante que o e-commerce seja bastante criterioso ao fazer a segmentação da campanha, que pode ser feita a partir da definição do público-alvo ou de sites, apps ou vídeos específicos.

Outra opção é trabalhar com “contextos específicos”, o que significa levar em conta o estilo de vida dos usuários.

Na Rede Display, diferentemente do que ocorre com a Pesquisa, a empresa ainda tem o benefício de empregar nas mensagens elementos visuais e gráficos da sua marca.

Com os chamados anúncios gráficos do Google Ads, a mensagem da loja exibirá imagens de seus produtos e serviços como eles realmente são, por meio de anúncios estáticos ou animados.

Ao configurar os anúncios, é possível fazer o upload das mensagens prontas ou usar os recursos do Google para criar o layout. E como as peças serão exibidas em locais diferentes, o próprio sistema faz as adequações necessárias para cada espaço.

Google Shopping e Merchant

Ainda usando a plataforma do Google Ads, é possível direcionar os anúncios para o Google Shopping.

Trata-se de uma excelente ferramenta para fazer publicidade para o e-commerce, uma vez que ele é funciona como um comparador de preços. 

Desde 2020 o Google faz inserções não pagas nas no Shopping, mas existe uma diferença importante em relação aos anúncios. Neste último caso, além de relevância e histórico de busca do usuário, os links patrocinados serão exibidos de acordo com os lances feitos pelas empresas.

Ter uma posição de destaque no Google Shopping, via anúncios, é uma estratégia importante para elevar a taxa de conversão da loja, até porque trata-se de um lead qualificado. 

Afinal, quem clica nesta aba do Google provavelmente está mais avançado no funil de compras do que uma pessoa que está fazendo uma pesquisa sobre determinado assunto.

Remarketing

Os anúncios da opção Remarketing no Google Ads têm relação direta com a segmentação. Ao configurar, basta definir que as mensagens devem ser exibidas para visitantes que já estiveram em seu e-commerce.

Segundo estudos do próprio Google, 97% das pessoas não convertem na primeira visita aos sites, daí a necessidade de a marca reforçar sua presença entre as pessoas que visitaram a loja.

Detalhe: a loja pode fazer o remarketing na Pesquisa ou na Rede Display, seguindo os formatos disponibilizados em cada alternativa.

Ao configurar as campanhas, é possível selecionar as chamadas “listas”, que podem ser de pessoas que acessaram as URLs de determinados produtos, de quem entrou na página de preços, de quem realizou uma compra etc.

O objetivo, neste caso, é pensar em abordagens específicas para clientes potenciais que demonstraram interesse pelos produtos e serviços da marca, mas que não converteram.

 

Como ter campanhas mais eficientes?

Para que os investimentos no Google Ads sejam devidamente otimizados, é importante atenção com alguns detalhes. Confira nossas dicas?

1.  Escolha palavras-chave adequadas ao negócio

Neste caso, a proposta é encontrar as palavras-chave que estão associadas ao produto e que irão ajudar na atração dos clientes potenciais. Uma boa dica é usar as ferramentas disponíveis para isso, como o próprio Planejador de Palavras-Chaves do Google.

2.  Capriche na redação dos anúncios

Os textos dos links patrocinados devem ser curtos e usar, preferencialmente, a força dos gatilhos mentais para converter.

A boa notícia é que no Google Ads, o pagamento depende do clique do usuário. Claro que o objetivo é conversão, mas isso significa que a empresa tem condições de aprimorar a campanha caso ela não dê o resultado esperado.

Assim, diferentemente do que acontece na publicidade tradicional, a marca não irá pagar pela simples exibição das peças durante determinado período, independentemente do resultado obtido.

Além do emprego da palavra-chave, é fundamental considerar que a redação do texto deve privilegiar os objetivos da campanha.

Por exemplo, se a opção foi pelo Remarketing, vale a pena realizar pequenas modificações no texto, inserindo, por exemplo, o alerta de um desconto para o produto visto.

São estratégias simples, mas que devem ser bem planejadas para os recursos investidos sejam otimizados da melhor forma possível.

3.  Cuide do monitoramento dos resultados

A possibilidade de mensurar a performance das campanhas, praticamente em tempo real, é uma das vantagens do Google Ads.

Contudo, mais do que a geração de relatórios de performance, é fundamental analisar os dados para entender o comportamento dos usuários.

Para que os resultados sejam mais efetivos, verifique não apenas o CPC (Custo por Clique), mas também o CPA (Custo por Aquisição), importante que a empresa consiga avaliar o gasto real obtido com cada conversão da campanha.

É a partir daí que se constrói os aprendizados necessários para a otimização dos recursos investidos em mídia paga.

No e-commerce, que nem sempre atua com altas margens de lucro, redobrar a atenção com as estratégias de divulgação faz muita diferença para o sucesso (ou o fracasso) do negócio no longo prazo.

Gostou do artigo? Viu como é importante cuidar adequadamente das suas estratégias no ambiente digital? Assine a nossa newsletter e tenha acesso a mais conteúdos desse tipo.

Compartilhe